Sala de Imprensa
10/10/2014
Herança ingrata da Desportiva Capixaba ameaça futuro da Desportiva Ferroviária
Dívida de R$ 80 milhões e problemas judiciais da gestão do grupo Villa-Forte impedem o avanço da Locomotiva Grená e coloca o patrimônio em risco. Situação é muito difícil, sem a ajuda do poder público

Henrique Montovanelli

Assessoria de Imprensa - Desportiva Ferroviária 

 

O patrimônio e o futuro da Desportiva Ferroviária correm sérios perigos. Nesta quinta-feira, a diretoria grená revelou, em coletiva de imprensa, a grave crise financeira que o clube enfrenta, com dívida de R$ 80 milhões, em decorrência dos problemas da parceria com o grupo Villa-Forte e Oliveira Empreendimentos S/A, na época da Desportiva Capixaba. O anúncio contou com a presença dos principais veículos de comunicação do estado. 

 

“Nós queremos chamar a atenção da sociedade capixaba, dos desportistas do estado, da imprensa e do governo. A Desportiva Ferroviária pede socorro. Precisamos que essa situação seja resolvida o mais rápido possível. A Desportiva corre o risco de desaparecer”, afirma o presidente da Desportiva Ferroviária, Wilson de Jesus.

 

A decadência da Desportiva e os problemas começaram em 1999, quando o clube vendeu 51% de suas ações para o grupo Villa-Forte e Oliveira Empreendimentos S/A (rede de combustíveis Frannel), virando o clube-empresa Desportiva Capixaba. A contrapartida do acordo não foi cumprida, e a Desportiva voltou a ser Ferroviária em 2011. Entretanto, o processo de dissolução da parceria ainda corre na Justiça, que entende que a Desportiva Ferroviária faz parte do grupo econômico.

 

“Já pagamos cerca de R$ 800 mil em dívidas das mais de 20 empresas desse grupo, incluindo o processo do professor de uma faculdade, que quase levou nosso estádio ao leilão. Como não encontram nenhum bem da Desportiva Capixaba e dessas empresas do Macelo Vila-Forte, as dívidas vem para cá”, explica o vice-presidente jurídico do clube, Laudio Klipel.

 

Para se livrar da dívida e dos problemas jurídicos, a Desportiva Ferroviária tenta derrubar a tese de que faz parte desse grupo econômico, com empresas de diversos ramos, como de combustíveis e educacional, além de cobrar uma rápida solução no processo de dissolução da malfadada parceria, que corre na 2ª Vara Cível de Cariacica, desde 2012. 

 

A irresponsável parceria com o Grupo Frannel, de Marcelo Villa-Forte: 

 

Em 1999, o ex-presidente da Desportiva Ferroviária, Sr. Edvaldo Rocha Leite firmou parceria com o grupo Oliveira Empreendimentos e Participações S/A (leia-se rede de postos de combustíveis Frannel), tendo como seu principal gestor o Sr. Marcelo Villa-Forte, além de outros familiares. A Desportiva Ferroviária ficaria com a parte social, enquanto que o futebol seria administrado pela Desportiva Capixaba (união da Desportiva Ferroviária com o grupo Oliveira Empreendimentos e Participações S/A). A primeira parte ficaria com 49% das ações, enquanto o grupo majoritário com 51%. Como contrapartida, acordou-se que seria construída uma nova sede social, um posto de gasolina, além do pagamento de R$ 300.000,00.

 

Com inadimplemento das obrigações por parte da Villa-Forte e Oliveira Empreendimentos e Participações S/A, a Desportiva Ferroviária cobrou e a justiça capixaba condenou o grupo de investidores a pagar R$ 8.000.000,00 (valores atuais) aos ferroviários, o que ainda não ocorreu. Além disso, as atividades do futebol foram encerradas na época e o clube passou a colecionar inúmeras ações na Justiça do Trabalho e na Justiça Comum Estadual e Federal. Não cumprindo com as obrigações trabalhistas, tributárias, fornecedores e prestadores de serviço.

 

No dia 08 de abril de 2011, após recuperar a posse do estádio Engenheiro Alencar Araripe, atualmente Arena Unimed Sicoob, a Desportiva Ferroviária voltou a existir, tocando o futebol, mas com poucos recursos e com inúmeros desafios pela frente.

 

 

Dívidas do Grupo Villa-Forte: quem pagam são os ferroviários


A irresponsável administração da Desportiva Capixaba traz inúmeros transtornos à atual gestão. A Justiça entende que a Desportiva Ferroviária deve herdar todos os passivos do Grupo Oliveira Empreendimentos e Participações S/A, que por sua vez tem participação em pelo menos outras dez empresas no ramo de combustíveis. São inúmeros processos tributários e trabalhistas, de empregados – até mesmo de outras empresas do grupo – e ex-jogadores. Os advogados grenás trabalham para convencer a Justiça de que se tratam de duas instituições diferentes: a Desportiva Ferroviária é uma associação sem fins lucrativos, tendo como objeto social a prática do futebol amador e profissional do futebol, e não a comercialização, distribuição, transporte de combustíveis, ou do ramo da educação, não participando desse “grupo econômico”. Vários processos correm à revelia, sem o conhecimento prévio da Desportiva Ferroviária, que sequer é chamada para discutir o mérito das causas.

 

Além das ações trabalhistas, há inúmeras pendências tributárias em que a União, o Estado e os Municípios ajuizaram respectivas execuções – sendo que uma delas, contra a Frannel Distribuidora de Petróleo Ltda, no valor de quase R$ 42 milhões. Diante disso, o estádio Engenheiro Alencar de Araripe, avaliado em R$ 70 milhões em 2013, pode ser arrematado em leilão de uma hora para a outra, por um valor que não condiz com sua estrutura (R$ 35 milhões).

 

 

A difícil volta da Desportiva Ferroviária

 

Quando se tornou clube-empresa, em 1999, a Desportiva disputava a Série B do Campeonato Brasileiro, por pouco não conseguindo o acesso no ano anterior. Como Desportiva Capixaba, entretanto, sofreu dois rebaixamentos no Brasileirão e no Capixabão, manchando a história gloriosa do clube de Jardim América. Ao reabrir as portas do clube, em abril de 2011, o presidente Robson Santana e seu vice Wilson de Jesus – atual presidente - sabiam que teriam muito trabalho pela frente.

 

As instalações do Estádio Engenheiro Alencar Araripe estavam precárias e o futebol parado. O estádio virou Arena Unimed Sicoob, com parceria com as empresas Unimed Vitória e Sicoob Espírito Santo, sendo atualmente um dos estádios mais modernos do estado, recebendo a seleção da Austrália neste ano, durante a Copa do Mundo.

 

Desde o difícil pontapé inicial, em apenas três anos e meio de  reestruturação, a Desportiva Ferroviária conquistou três títulos em quatro finais seguidas disputadas – Campeonato Capixaba Série B 2012, Copa Espírito Santo 2012 e Campeonato Capixaba 2013 –, e disputou, nesta temporada, a Copa do Brasil e a estreante Copa Verde, além de ser campeã da Copa dos Campeões, do Desafio Preto e Grená e da Taça Unimed Vitória de Futebol. Apesar da campanha abaixo de suas pretensões no Estadual deste ano, a equipe lidera o Grupo B da Copa Espírito Santo. Entretanto, a herança maldita da Capixaba impede que a Locomotiva Grená volte a trilhar os trilhos que lhe pertencem.

 

Medidas do departamento grená

Os advogados grenás trabalham no processo de dissolvição da Desportiva Capixaba e Desportiva Ferroviária, que ainda corre na Justiça, e tentam derrubar a tese de “grupo econômico”. Como medida emergente, os acordos são firmados e os leilões são suspensos.

 

ALGUNS PROCESSOS:

 

JUSTIÇA COMUM FEDERAL:

 

1. PROCESSO 0001656-80.2010.4.02.5001

EXEQUENTE: UNIÃO FEDERAL

EXECUTADAS: FRANNEL DISTRUBUIDORA DE PETRÓLEO LTDA, LUBMAR LUBRIFICANTES, ARABIAN PETRÓLEO LTDA, MARLUBE IMPORTADORA E DISTRIBUIDORA, ALO EMPREENDIMENTOS DE PETRÓLEO LTDA, MARCELO VILLA-FORTE DE OLIVEIRA, E OUTRAS 23 EMPRESAS E PESSOAS FÍSICAS.

VALOR: R$ 304.650,14, EM 18/12/2006

 

2. PROCESSO 0010700-41.2001.4.02.5001

EXEQUENTE: UNIÃO FEDERAL

EXECUTADAS: FRANNEL DISTRUBUIDORA DE PETRÓLEO LTDA, LUBMAR LUBRIFICANTES, ARABIAN PETRÓLEO LTDAMARLUBE IMPORTADORA E DISTRIBUIDORA, ALO EMPREENDIMENTOS DE PETRÓLEO LTDA, MARCELO VILLA-FORTE DE OLIVEIRA, E OUTRAS 23 EMPRESAS E PESSOAS FÍSICAS.

VALOR: R$ 4.433.945,40, EM 23/10/2013

 

3. PROCESSO 0000261-48.2013.4.02.5001

EXEQUENTE: UNIÃO FEDERAL

EXECUTADAS: FRANNEL DISTRUBUIDORA DE PETRÓLEO LTDA, LUBMAR LUBRIFICANTES, ARABIAN PETRÓLEO LTDA, MARLUBE IMPORTADORA E DISTRIBUIDORA, ALO EMPREENDIMENTOS DE PETRÓLEO LTDA, MARCELO VILLA-FORTE DE OLIVEIRA, E OUTRAS 23 EMPRESAS E PESSOAS FÍSICAS.

VALOR: R$ 4.829.394,90, EM 14/07/2014

 

4. PROCESSO: 0001166-97.2006.4.02.5001

EXEQUENTE UNIÃO FEDERAL

EXECUTADAS: FRANNEL DISTRUBUIDORA DE PETRÓLEO LTDA, LUBMAR LUBRIFICANTES, ARABIAN PETRÓLEO LTDA, MARLUBE IMPORTADORA E DISTRIBUIDORA, ALO EMPREENDIMENTOS DE PETRÓLEO LTDA, MARCELO VILLA-FORTE DE OLIVEIRA, E OUTRAS 23 EMPRESAS E PESSOAS FÍSICAS.

VALOR:R$ 41.955.931,45

 

JUSTIÇA COMUM ESTADUAL

 

1. PROCESSO 0008471-68.2003.8.08.0012 E 0020718-71.2009.8.08.0012

EXEQUENTE: CESAN

EXECUTADA: DESPORTIVA CAPIXABA

VALOR: R$268.000,00

 

JUSTIÇA DO TRABALHO

1. PROCESSO 0061600-7.2006.5.17.0004

EXEQUENTE: GMC

EXECUTADA: DESPORTIVA CAPIXABA

VALOR: R$ 320.000,00

 

1.PROCESSO 00183000-96.2005.54.17.0014

EXEQUENTE: LGCR

EXECUTADA DESPORTIVA CAPIXABA

VALOR: R$ 157.821,47





Veja mais:

28/11/13 - Tiva na Verde: Desportiva enfrenta o Cuiabá na estreia
01/03/16 - David encara o Atlético Itapemirim como uma decisão
02/02/15 - Tiva contrata dois laterais e um atacante
07/03/14 - Bombom na Tiva
09/02/14 - Tiva na Verde: vitórias animam a Desportiva contra o Cuiabá
06/12/13 - Tiva na Verde: CBF divulga tabela e regulamento da Copa Verde
03/09/14 - Fim de semana de quadrangular na Arena Unimed Sicoob
21/04/15 - Tiva e Estrela se enfrentam em mais um jogo decisivo
02/09/16 - Desportiva vence jogo-treino por 7 a 2
23/07/16 - Maestro rege a Tiva na estreia da Copa ES

    veja lista completa

Campeonato Capixaba 2018
Doze Futebol Clube
Desportiva Ferroviaria
28/02/2018
20:15
Kleber Andrade
1Vitória Futebol Clube 0 0 0
2São Mateus 0 0 0
3Serra Futebol Clube 0 0 0
4Rio Branco F.C. 0 0 0
Não possuem jogos cadastrados!